Sunday, January 08, 2017

Momentos no tempo... 1

Momentos no tempo


Um dos meus filmes preferidos é Blade Runner - O Caçador de Androides - e meu personagem preferido não é o Deckard (protagonizado por Harrison Ford) nem a Pris (interpretado pela Darel Hanna) - escolhas comuns entre amigos que tambem são fans do filme.

Meu personagem preferido é o aparente vilao - o Replicante Roy Batty - mostra uma ótima interpretação no filme na cena mais iconica - num filme que exibe um mundo decaido, controlado por corporações onde humanos vivem uma vida mecanica e ele - um não humano - mostra sensibilidade impar com frases inclusive criadas pelo proprio interprete de maneira improvisada no final do filme - e ao perceber o fim de sua "vida util" diz -

"Eu vi coisas que vocês não imaginariam. Naves de ataque em chamas ao largo de Órion. Eu vi raios-c brilharem na escuridão próximos ao Portão de Tannhäuser. Todos esses momentos se perderão no tempo, como lágrimas na chuva..."

Pois dada a nossa insignificancia nesse imensuravel cosmos - o que são nossos momentos aqui no tempo que temos?  Proporcionalmente, menos que as lagrimas na chuva.

Mas não ha mau nenhum em externar as lembranças e pensamentos, então me pergunto por que o céu me atrai tanto???
 
 Não tenho essa resposta - mas vamos a lembrança:

Lembranças de Criança

Sempre gostei do céu e nunca soube explicar o porque!! Quando menino, ficava reproduzindo desenhando modelos do sistema solar quando menino, representando as orbitas dos planetas e tudo mais.

Lembro de minha tia Nil citar que em noites estreladas ela e meu tio Dinho colocavam um pano no gramado de sua casa  la no parque tropical - na epoca o final da cidade - e ficarem olhando as astrelas.

Lembro de ter viajado com meu Tio Beto para minas gerais na boleia de seu scania 2013 trucado vermelho. A noite afastava a cortina  para ver um ceu maravilhoso - muitas estrelas

A "fisgada"

Me lembro no entanto nitidamente da primeira vez que olhei mesmo por um telescópio. Foi numa noite de Julho ou Agosto de 1981 - quando o astrônomoJulio Lobo foi ao colégio onde eu estudava fazer uma atividade. Era noite, fazia frio e foi bem legal ver a lua ao vivo com suas crateras e mares (planícies escuras) - por isso  considero o Júlio Lobo como meu padrinho astronômico.

O evento foi inclusive filmado pela televisão e no sábado me vi na TV Globinho - apresentado na época pela simpaticíssima Paula Saldanha.







Saturday, January 07, 2017

Um Ceu Tipico de Janeiro

Data estelar 2017.007

Janeiro é epoca de calor, que com a umidade deixa o ceu um pouco (ou muito) mais longe do céu belo e lipo que gostamos de observar.

A lua apareceu por poucos minutos e ja se escondeu - o suficiente para uma imagem com uma nevoa. Deu para ver algumas crateras - apenas para matar um pouco da saudade de observar.